Ágora

Com palavra ágora os gregos referiam-se à praça da cidade, local privilegiado para o exercício da democracia.

Aqui, o termo designa esta área, destinada a preservar os textos que ingressam pelo Limiar, a página inicial.

Os textos abaixo se ordenam pela ordem cronológica da edição, mas os títulos, no Sumário lateral, se alinham alfabeticamente.



CACIMBA

7 de outubro de 2011

Reminiscências… Reincidências…

Embora, em matéria de política, eu não seja mais que um eleitor atento, costumava ver com simpatia as manifestações públicas do Dr. Nelson Jobim. Poucos anos faz, informou-me uma ex-aluna – colega dele no cursinho de pré-vestibular – que também ele teria frequentado minhas aulas de literatura.

O cursinho era provavelmente o do Centro Acadêmico Franklin Delano Roosevelt, que funcionava na Faculdade de Filosofia da UFRGS, ou o IPV, Instituto Pré-Vestibular, os únicos em que dei aulas, na década de sessenta.

Acrescentou minha informante que certa vez pedi, a bem da disciplina, que o aluno Nelson Jobim se retirasse da sala. Eu, que de nada recordava, acabei debitando minha atitude a certo exagero no tratamento dos alunos, por insegurança, por inexperiência, ou por ambas.

No entanto, ao ler agora na imprensa as indefensáveis molecagens verbais do Ministro da Defesa, que aliás culminaram em sua demissão, acabei por me conceder provável absolvição…

Agradeço à Presidenta Dilma o benefício regressivo, ao confirmar que o professor, já naquela época, não errou.

(Edição primitiva em 6 de agosto de 2011, em delpiblog.blogspot.com)