ELID: Glossário

ELID é a sigla que indica o livro Escrita, leitura e i(nc)lusão digital, editado em 2010. O Glossário reflete as noções cujo significado, pelo critério do autor, merece destaque.

Acervo digital: conjunto de documentos preservados pelo usuário no microcomputador ou em meio exclusivamente digital.
Acervo material: conjunto de documentos, geralmente impressos, preservados pelo usuário em meio externo ao microcomputador.
Alvo: palavra, expressão ou símbolo gráfico a que se tem acesso ao clicar sobre o respectivo hipervínculo.
Arquivo: a face digital do documento em meio eletrônico.
Arquivo alheio: o que contém matéria que não foi elaborada pelo usuário; distinto do arquivo próprio.
Arquivo anônimo: tipo de arquivo especial que recebe essa denominação de forma provisória e que convém manter em pasta especial, até lhe ser atribuído nome definitivo.
Arquivo clonado: tipo de arquivo especial que é réplica de outro, que se denomina original.
Arquivo consolidado: o que por princípio, não deve ser alterado por ter seu conteúdo definido e imutável.
Arquivo diferido: o que se elabora de forma progressiva, durante várias sessões, em período de tempo mais ou menos extenso, que pode chegar a meses ou anos.
Arquivo especial: o que, não sendo regular, preserva sua consistência e, por isso, também não é irregular.
Arquivo irregular: o que não se enquadra nas categorias do arquivo regular nem do especial, por lhe faltarem qualidades básicas quanto à consistência.
Arquivo marcado: o que, para ser diferenciado de sua réplica, recebe marca – sinal especial junto ao nome.
Arquivo Original: tipo de arquivo especial que dá origem a uma réplica ou clone.
Arquivo próprio: o que contém matéria elaborada pelo usuário; distinto do arquivo alheio.
Arquivo provisório: tipo de arquivo especial usado em situações de insegurança do usuário quanto ao programa, para evitar possível erro em operação digital.
Arquivo regular: o que tem as qualidades de estabilidade, unicidade do nome, integridade do conteúdo e adequação entre conteúdo e nome.
Bibliorreferência: termo que neste livro designa o conjunto de informações descritivas de um documento, de forma a individualizá-lo; equivale a «referência», na atual norma da ABNT e a «referência bibliográfica» nas antigas normas.
Bottom-up:   Ver: Leitura ascendente, Escrita ascendente.
Branco interparagráfico: espaço vazio da entrelinha que separa verticalmente os parágrafos entre si.
Branco intervocabular: espaço vazio que separa as palavras entre si.
Branco paragráfico: espaço vazio da entrelinha que separa verticalmente as linhas entre si, dentro do parágrafo; sinônimo de entrelinha.
Consistência: qualidade básica de pastas e arquivos, que requer estabilidade, unicidade do nome, integridade do conteúdo e adequação entre conteúdo e nome.
Deleção: ato de deletar (apagar, excluir) caráter, texto, figura ou arquivo; substantivo não dicionarizado.
Diagramação: conjunto de procedimentos que objetivam distribuir técnica e esteticamente os elementos gráficos do texto, visando a sua impressão.
Discurso dialógico: o que resulta da interação de dois ou mais interlocutores; distinto do monológico.
Discurso monológico: o que resulta de apenas uma voz, distinto do dialógico e do polifônico.
Discurso polifônico: o que explicita a presença de muitas vozes, a que correspondem distintos pontos de vista ou ideologias; em oposição ao monológico.
Documento: a face analógica do arquivo.
Documento atual: o que já teve seu nome gravado no disco rígido, por oposição a virtual.
Documento virtual: o que, aberto automaticamente pelo programa, ainda não teve seu nome gravado no disco rígido; por oposição a atual.
Entrada: Ver: Texto de entrada.
Entrelinha: extensão branca, no sentido vertical, que ocupa a largura da mancha e separa as linhas entre si.
Escrita ascendente: processo em que o autor acumula dados de forma aleatória, isto é, sem planejamento prévio, e depois os remaneja e reescreve para chegar ao texto final; bottom-up, em inglês.
Escrita descendente: processo em que o autor, mediante planejamento, define uma estrutura lógica inicial que é expandida em suas linhas gerais, para depois se tornar discurso; top-down, em inglês.
Estabilidade: qualidade que consiste em nome e lugar fixos de pasta ou de arquivo.
Etiqueta: palavra ou conjunto de palavras inter-relacionadas que, por sua relevância semântica, orienta a produção do discurso durante a escrita.
Expansão temática: conjunto de operações que consiste em construir o discurso, tendo como ponto de partida elementos sintéticos e relevantes do tema e dos subtemas, os quais são desenvolvidos e ampliados mediante a escrita.
Figura de indexação: forma final assumida pelo indexador após ajuste que o torne mais adequado e acessível para recuperar a informação.
Fonotexto: o que tem como suporte o som; ex.: a linguagem falada e outras.
Fototexto: o que tem como suporte a luz; cinema e microcomputador, por exemplo.
Glosa: anotação aposta ao texto com a finalidade de comentá-lo, corrigi-lo ou aprimorá-lo, mediante supressão, acréscimo ou substituição de palavras, expressões, sinais, etc.
Hiletexto: o que tem como suporte a matéria, como madeira, metais, papel, plástico e outros.
Hipervinculação: conjunto de procedimentos que consiste em definir alvos e respectivos hipervínculos e, através dos recursos do programa, em criar nexos ativos entre eles.
Hipervínculo: lexia ou sinal que, pela ação do ponteiro do mause, conduz ao alvo; hyperlink, em inglês.
Hyperlink: Ver: Hipervínculo
Indexação: conjunto de procedimentos de identificação, seleção e coleta de termos cuja relevância semântica os qualifica como instrumentos para a recuperação das informações textuais.
Indexador: palavra ou conjunto de palavras inter-relacionadas que, por sua relevância semântica, é objeto de seleção, no discurso, com o objetivo de instrumentalizar a recuperação da informação.
Intervinculação: modalidade de hipervinculação em que o hipervínculo e o respectivo alvo se situam em distintos arquivos do mesmo microcomputador.
Intravinculação: modalidade de hipervinculação em que o hipervínculo e o respectivo alvo constam no mesmo arquivo.
Leitura ascendente: processo em que o leitor dá prioridade ao texto, analisando as partes para chegar ao significado do todo; bottom-up, em inglês.
Leitura descendente: processo em que o leitor atribui maior ênfase à própria capacidade de previsão sobre os significados do texto; top-down, em inglês.
Mancha: área da página que é ocupada pelo texto e circundada pelas margens.
Marca: conjunto de elementos que se acrescenta, entre colchetes, ao nome do arquivo, para diferenciá-lo de suas réplicas ou clones.
Margem: área da página, não ocupada pelo texto, que circunda a mancha, acima, à esquerda, à direita e abaixo.
Matéria excedente: registros que o autor produz no interior do discurso, em notas, comentários ou qualquer outra forma, de interesse apenas pessoal e que não deve aparecer no impresso final.
Medial: Ver: Texto medial.
Metarquivo: arquivo destinado exclusivamente a conter hipervínculos que dão acesso a alvos constituídos por pastas ou outros arquivos, através de intervinculação ou transvinculação.
Palavra-chave: termo cuja densidade semântica o torna representativo para condensar parcelas relevantes do discurso.
Parágrafo: conjunto de linhas visualmente autônomo e separado dos demais, cuja primeira linha é geralmente recuada à esquerda.
Previsibilidade: qualidade que consiste em antecipar o valor e a necessidade do conteúdo de pastas e arquivos, a fim de preservá-los de forma adequada
Redução discursiva: conjunto de operações que consiste em identificar e extrair, pela leitura, os elementos relevantes do discurso para reter e registrar sinteticamente o essencial da informação contida no texto, sob o ponto de vista do leitor.
Réplica: o mesmo que cópia, clone, reprodução, duplicação ou multiplicação de pasta ou de arquivo.
Rótulo: conjunto de elementos inscritos no arquivo e no respectivo impresso, com a finalidade de facilitar sua recuperação.
Suporte: base física do texto, que pode ser sonora (fonotexto), material (hiletexto) ou luminosa (fototexto).
Texto de entrada: discurso de autoria alheia que o leitor processa com a finalidade de extrair informações para elaboração de texto medial.
Texto de saída: matéria produzida pelo autor com finalidade de publicação ou divulgação.
Texto medial: matéria que o leitor seleciona em textos de entrada ou que produz, pela reflexão ou por outras formas, e que reelabora e registra, para futura recuperação de informações.
Top-down: Ver: Leitura descendente, Escrita descendente.
Transvinculação: modalidade de hipervinculação em que o hipervínculo tem seu alvo em arquivo de outro microcomputador, em rede ou na web.
Versão progressiva: estágio da escrita em que o discurso está sendo expandido, a partir de informações de base, para chegar à completude. Ver: Versão regressiva
Versão regressiva: estágio da escrita em que o discurso está sendo contido, melhorado e até reduzido, mediante cortes ou ajustes, a fim de atingir a feição final. Ver: Versão progressiva.